Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

"à espera de godot"

"... é uma coisa que não é, mas faz de conta que é para ver como seria se fosse."

"à espera de godot"

"... é uma coisa que não é, mas faz de conta que é para ver como seria se fosse."

17.Mar.08

"resistências colectivas"

Muitos têm falado muito de Educação, em geral, e de Professores, em particular. Muitos são os que têm falado de Educação tendo dela uma visão superficial, antiquada, virtual, seguidista da política vigente. Muito têm falado muito sem, verdadeiramente saberem o mínimo do funcionamento das escolas e, por isso, se têm entregado aos comentários mais ridículos acerca do empenhamento, ou da sua falta, dos professores deste país. Muitos têm dirigidos aos docentes, em geral, um ódio estigmatizado por uma ou outra experiência traumatizante do seu passado e da sua relação com a escola,  estendendo à maioria os defeitos de alguns.

Há maus professores como há maus médico, advogados, construtores, carpinteiros, polícias. Até há maus ministros, como sabemos. E nesta área, sabemos bem quantos dos 26 ministros, que já ocuparam a 5 de Outubro, podem incluir-se no lote dos bons. Todos eles tentaram fazer a sua reformazinha sem avaliar convenientemente as experiências anteriores. O resultado está à vista e a culpa, segundo eles, é dos professores que são alérgicos à mudança. Andamos há 33 anos a mudar coisas na educação. Os professores são alérgicos à mudança pela mudança. Nem todas as mudanças são boas. Quantas vezes, até na nossa vida pessoal fazemos mudanças para pior.

Mas, ainda a propósito do muito que se tem dito sobre educação, professores e avaliação, convém ler (aqui) a Carta enviada  à Ministra da Educação pelo Conselho Pedagógico da Escola Secundária Pluricurricular de Santa Maria Maior, em Viana do Castelo, que expõe com muita clarividência as razões porque a classe dos professores contesta este sistema de avaliação.

O link remete para um post publicado no blogue "A Educação do meu umbigo" que se tem revelado  como a voz esclarecida dos docentes neste braço-de-ferro entre ministra e docentes.