Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

"à espera de godot"

"... é uma coisa que não é, mas faz de conta que é para ver como seria se fosse."

"à espera de godot"

"... é uma coisa que não é, mas faz de conta que é para ver como seria se fosse."

16.Abr.09

em jeito de poesia: maré viva

 

 

maré viva

 

era o tempo
do sol mergulhar

caminhavas na areia molhada
impressão nos pés despidos
um passado interrompido

entraste nas águas revoltas
um barco sem mastro ou velas
deixaste a noite ao dia
te resgatar

esperava suspenso
nas dunas onde teu corpo
diluído chegasse a mim
a cada rebentação

carlos silva

 

09.Abr.09

em jeito de poesia: o medo à liberdade

 

 

o medo à liberdade

 

 

de repente

estavas em cima do muro

olhando para dentro de ti

um abismo

 

hesitaste entre o salto e o voo

como se a vida dependesse de ti

naquele instante de pedra

 

desenhaste nos lábios

um desejo

de eternizar o gesto subtil

dos teus cílios

 

e enquanto o corpo caía exangue

no mar etéreo da liberdade

o medo assaltava

os caminhos do teu olhar

 

carlos silva

 

03.Abr.09

o comentário de: manuel antónio pina

 

"Lá se vai mais um sonho"

 

"Perdemos os sonhos ou são os sonhos que nos perdem? O meu sonho de menino sempre foi ser presidente de uma empresa intermunicipal de tratamento de resíduos; e quando, em vez de estudar, me punha a ler o "Cavaleiro Andante", minha mãe dizia-me: "Estuda se queres vir a ser presidente de uma empresa intermunicipal de tratamento de resíduos", sabendo que só isso era capaz de me arrancar da companhia de Tartarin de Tarascon e de Tintin.

Chegado a esse lugar de exílio que é a idade adulta (o que sucedeu mais ao menos na altura em que Tintin deixou de usar calças de golfe), procurei em vão informar-me acerca de como seria possível realizar tão desmesurado sonho. Só agora, já velho, o descobri. Para se ser presidente de uma empresa intermunicipal de tratamento de resíduos é recomendável, pelo menos em Braga, ter sido condenado por tentativa de corrupção de um vereador, o que (uma condenação por corrupção) é, como se sabe, uma inalcançável miragem em Portugal. Sem meios para tentar corromper vereadores, terei que me ficar pelo jornalismo, que também é uma actividade do sector do tratamento do lixo."

 

Manuel António Pina

 

in JN (02.04.2009)

Pág. 2/2