Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

"à espera de godot"

"... é uma coisa que não é, mas faz de conta que é para ver como seria se fosse."

"à espera de godot"

"... é uma coisa que não é, mas faz de conta que é para ver como seria se fosse."

06.Nov.06

a culpa

No seu seu afã de encontrar um bode expiatório para a inoperância e ineficácia do seu ministério, a ministra de educação decidiu atribuir a culpa de todos os males de que enferma o sistema educativo apenas aos professores, fazendo tábua rasa de todos os estudos que atribuem ao insucesso escolar uma muito diversificada e complexa rede de causas.

Pessoalmente, creio que a verdadeira culpa pertence aos vários inquilinos da 5 de Outubro e 24 de Julho. Pesquisando no site do ME encontrei esta pérola.

Estão aqui todos, com a excepção de Fraústo da Silva. São acusados de, no pouco tempo tempo em que tiveram o poder, decidirem medidas educativas avulsas que em nada melhoraram o sistema educativo.

Permito-me retirar desta lista apenas Marçal Grilo e Roberto Carneiro, os únicos que aguentaram uma legislatura completa e que, para além disso, produziram algumas medidas positivas para a Educação.

A actual ministra, essa, está decidida a destruir a escola pública, a desempregar os professores, a afastar os eventuais estudantes da educação para outras profissões menos  stressantes e melhor remuneradas, a demitir-se da responsabilidade de organizar um concurso transparente com a justificação de que o ME não é uma agência de emprego.

Com estas medidas, há uma inevitabilidade agradável: o esvaziamento das funções e responsabilidades do Ministério e, por consequência, a sua extinção, por desnecessário.

Aqui está uma ideia que me agrada. Assim, eram menos três a incomodar todos os dias os professores e a permitir que a alegria voltasse às escolas.