Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

"à espera de godot"

"... é uma coisa que não é, mas faz de conta que é para ver como seria se fosse."

"à espera de godot"

"... é uma coisa que não é, mas faz de conta que é para ver como seria se fosse."

27.Nov.06

Professor titular? Não, obrigado.

Eu não quero ser professor titular

 porque:

- não quero ser coordenador pedagógico de ano, ciclo ou curso;
- não quero ser director de qualquer centro de formação das associações de escolas;
- não quero coordenar nenhum departamento curricular ou conselho de docentes;
- não quero orientar a prática pedagógica supervisionada a nível de escola;
- não quero acompanhar nem apoiar a realização do período probatório de ninguém;
- não quero elaborar nem corrigir nenhumas provas nacionais de avaliação de conhecimentos e competências para admissão na carreira docente;
- não quero participar no júri da prova pública para admissão ao concurso de acesso à categoria de professor titular.

Eu quero apenas limitar-me a cumprir as minhas funções de professor:

- leccionar as disciplinas, matérias e cursos para que me encontro habilitado de acordo com as necessidades educativas dos alunos que me estejam confiados e no cumprimento do serviço docente que me seja atribuído;
- planear, organizar e preparar as actividades lectivas dirigidas à turma ou grupo de alunos nas áreas disciplinas ou matérias que me sejam distribuídas;
- conceber, aplicar, corrigir e classificar os instrumentos de avaliação das aprendizagens e participar no serviço de exames e reuniões de avaliação;
- elaborar recursos e materiais didáctico-pedagógicos e participar na respectiva avaliação;
- promover, organizar e participar em todas as actividades complementares, curriculares e extracurriculares, incluídas no plano de actividades ou projecto educativo da escola, dentro ou fora do recinto escolar ;
- assegurar as actividades de apoio educativo, executar os palnos de acompanhamento de alunos determinados pela administração educativa e cooperar na detecção e acompanhamento de dificuldades de aprendizagem;
- acompanhar e orientar as aprendizagens dos alunos, em colaboração com os respectivos pais e encarregados de educação;
- participar nas actividades de avaliação da escola;
- participar em actividades de investigação, inovação e experimentação científica e pedagógica.

Se virmos bem as coisas o meu horário de 35 (trinta e cinco) horas (25 lectivas e mais 10 para preparar as actividades, corrigir, avaliar e classificar os instrumentos didáctico-pedagógicos) não vai chegar (como já não chega) para cumprir tanta função. Só me faltava que, para além disto, ainda tivesse que exercer as funções de professor titular para as quais não tive qualquer formação, nem tenho qualquer vocação.

O meu compromisso é com os alunos e é com eles e para eles que gosto de trabalhar, apesar de a ministra tentar, todos os dias, estragar-me esse prazer.

Não quero ser professor titular porque só quero  ser (e sou)  PROFESSOR.

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.